Romina Ressia

A premiada fotógrafa argentina Romina Ressia se destaca por seu estilo anacrônico onde o absurdo e a ironia se somam a sua patente influência pela pintura clássica.
A obra de Romina tem caráter singular, atemporal e envolto de crítica social. A artista questiona o estereotipado retrato da mulher na sociedade e suas ideias pré concebidas de gêneros. Sua incessante pesquisa e seu olhar apurado e sensível à causa feminina, fez com que a artista fosse selecionada como uma das 17 jovens mulheres com maior poder de influência no mundo, pela The Women’s Forum For Economy and Society.
As imagens de Ressia são representadas e exibidas por galerias na Inglaterra, Bélgica, Estados Unidos, Itália França, Argentina, Bélgica, Grécia e agora no Brasil pela Leica Gallery São Paulo.

Mestra em jogos de luz e sombra, seus retratos são inspirados nas composições de Elisabetta Sirani e Caravaggio, os quais misturados a elementos da atualidade imprimem à obra de Romina um caráter singular, contemporâneo e envolto de crítica social. Representa questões modernas e a forma como estas afetam a sociedade.

Ao forçar eras contrastantes em uma única imagem, suas obras se tornam multifacetadas e parte de diversos tempos. Manifesta a forma pela qual as pessoas são tocadas pelo mundo atual em constante mudança, desse modo seu trabalho é ao mesmo tempo um castigo e uma celebração dessa sociedade.