Julio Bittencourt

Julio Bittencourt nasceu em 1980 em São Paulo, e cresceu entre a capital paulista e Nova York. Após viver por sete anos nos Estados Unidos, Bittencourt retornou ao Brasil em 1998 e iniciou sua carreira como fotojornalista no jornal Valor Econômico em São Paulo. Em 2003, viveu em Moçambique e atuou no Grupo Soico de Comunicação. Desde 2007, atua de forma independente desenvolvendo seus projetos pessoais, além de trabalhos para clientes corporativos, publicitários, jornais e revistas como Foam Magazine, GEO, Stern, TIME, Le Monde, The Wall Street Journal, C Photo, The Guardian, The New Yorker, Esquise, Financial Times e Leica World Magazine,

As imagens de Julio Bittencourt traduzem a força narrativa da fotografia e mostram seu interesse em investigar a relação entre diferentes pessoas e contextos sociais. Seu conhecimento de cores, formas e sua profunda sensibilidade conceitual, extrapolam os formatos tradicionais da fotorreportagem e transformam suas imagens em histórias fascinantes. 

Suas obras integram importantes acervos como da Pinacoteca do Estado de São Paulo, do Instituto Itaú Cultural, Leica Collection, Wetzlar, Germany, Coleção Pirelli/ MASP de Fotografia de São Paulo, Bibliothèque nationale de France, Kiyosato Museum of Photographic Arts (K*MoPA) no Japão, entre outros. Recebeu diversos prêmios como o Prêmio Fundação Conrado Wessel (2006), Leica Oskar Barnack Award (2007), XIII Prêmio Marc Ferrez de Fotografia (2013), IPA (International Photography Awards) nas categorias Collage Prize e Fine Art Prize (2012), Prêmio Porto Seguro de Fotografia (2010) e ​Aesthetica Art Prize da York Art Gallery (2017).